hotdog

Cachorro Quente – Qual é o jeito certo de comer?

Colocar uma receita de cachorro quente aqui no Homem na Cozinha, seria chover no molhado. Todo mundo sabe que a combinação Pão careca (sovado) e salsicha,  e surrgemonta um dos ícones da cultura americana.

Origem do Cachorro quente

Sua origem é bastante discutida e não se tem um indício mais forte de qual é a origem verdadeira. A questão é que aqui no Brasil, cachorro quente é sinônimo de comida rápida/barata e fortaleceu-se muito com a chegada das “Towners” em meados dos anos 1990. Seja o cachorro quente da USP em São Paulo, seja o cachorro quente do Rosário em Porto Alegre, ou qualquer um dos que relacionarei no final do post, os hot-dogs brasileiros são uma refeição completa, mas isso fere o princípio básico do Cachorro quente – pão, salsicha, catchup e mostarda. Será????

hotdog

Desde os anos 90, já vimos de tudo ser colocado dentro de tão pouco pão: maionese, ketchup, mostarda, molhos à base de tomates (quentes ou frio), Pimentão e cebola, batata palha, salpicão, maionese caseira, maionese temperada, tomate, beterraba, pepino, picles, ervilha, milho, purê de batata, bacon, requeijão, queijo ralado, cheddar, salsinha e as vezes ainda inventam de “prensar” o tal do pão. Eis que, não cansados de inventar, surgem outros tipos de salsinha que não a viena – defumada, vegetariana, de frango, de peru…

Pensando em entender um pouco mais do universo desse sanduiche americano, queria saber dos leitores do Homem na Cozinha – Qual a receita ideal de cachorro quente?

Usem os comentários para contribuir. Se não tiverem uma receita ideal, qual o ingrediente que não pode faltar no seu cachorro quente??

Relação de Barracas de Cachorro quente famosas em todo Brasil

São Paulo

Barraca de cachorro quente da USP
Rua do estádio universitário, travessa C – USP

Porto Alegre
Cachorro quente do Rosário

 

Esse post será um post vivo. Aguardo contribuições de todos nos comentários.

Crédito da foto: TheBusyBrain


21 Comentários
Jozimar Jr

abril 5, 2011 @ 19:30

Responder

Minha terra, Mossoró/RN, é conhecida por servir o cachorro quente que só pode ser comido de garfo e faca.

Consiste em pão para cachorro quente, com uma generosa quantidade de carne moída com caldo, servidos em um prato de sopa. Se quiser, pode acrescentar um ovo de galinha caipira. Normalmente é servido nas lanchonetes da Ceasa, faz parte da tradição da cidade. Ah, acompanhado de uma super gelada Cajuina São Geraldo.

Já em Natal, capital aqui do RN, é mais comum ver o cachorro quente com carne moída, frango desfiado, salsicha, tomate, milho, ervilha, queijo ralado e batata palha.

Espero ter ajudado. Abs!

Pedrovisky

abril 5, 2011 @ 19:39

Responder

Eu sou praticamente um tradicionalista quando se fala de cachorro-quente. Gosto MUITO da simples combinação "pão careca + salsicha". Obviamente, algumas vezes faço variações, mas não invento muito.

O que mais faço é trocar o pão careca por pão francês, e por vezes acrescento milho e batata palha apenas. Ou então derreto uma porção de queijo e jogo por cima da salsicha.

Alexandre Gurgel

abril 6, 2011 @ 05:24

Responder

Sabe que nunca comi o cachorro-quente tradicional… Agora vou ter que experimentar pra saber qual é melhor: simples ou "incrementado".

A combinação que mais gosto e que como sempre na faculdade é:

pão, queijo muçarela, salsicha com molho de tomates, milho e batata palha, com maionese e mostarda (não gosto de catchup…).

Mas sei (e já vi) que tem lugares que "revolucionam" nas opções de guarnições: abacaxi, mortadela, uva-passa, salgadinho de milho (tipo Fandangos), cenoura ralada, vinagrete, etc… Eu particularmente não gosto, acho até exagero.

babu

abril 6, 2011 @ 08:41

Responder

O que não pode faltar é o molho de tomates, mas, para meu gosto pessoal, dependerá da fome. O mais comum é comer pão careca+salsicha+molho+queijo parmesão ralado+mostarda e catchup. O molho tem que ser grosso, de preferência liquidificado.

Thiago Lopes

abril 6, 2011 @ 09:05

Responder

Aqui em Campinas/SP e nas cidades da região, o cachorro quente "NORMAL" é: pão, maionese, salsicha com molho de tomates, vinagrete, ervilhas, milho verde, purê de batatas e batata palha por cima do purê.

Existe na cidade variações ilimitadas. Tem até cachorro quente com CHILLI!

Patrick

abril 6, 2011 @ 09:18

Responder

O ideal ao meu ver tem pão-francês, mostarda, batata-palha e cebola frita seca (na Escandinávia vendem no supermercado). Simples e direto. Já comi bastante na epoca da facul o cachorro-quente do Subway onde era pão careca com parmesão, tinha batata-palha, cebola, queijo-prato e vinagre. Era o jantar entre o trabalho e as aulas da noite.

O lugar mais clássico da Zona Sul do Rio é o em frente ao finado Ballroom no Humaitá na barraca do Oliveira. Perfeito voltando da Lapa pra ZS por Botafogo.

Joseane

abril 6, 2011 @ 14:51

Responder

Aqui em Porto Alegre tem um lugar que está superando todos os demais, o Cachorro do Bigode (tem site), eu que não era fã, adoro! O meu é o super-cão (todos tem nome no cardápio): pão, tomate e cebola picados, molho, salsicha, milho e ervilha, batata-palha, ovo cozido picadinho, pimenta, queijo-ralado, salsinha, maionese, catchup e mostarda! É imenso, tanto que já tem a versão filhote! Fica a dica em Poa!

guadalupe

abril 6, 2011 @ 15:37

Responder

Ah!

Não esquece do Cachorro do Bigode http://www.cachorrodobigode.com.br/index.php aqui em Porto Alegre.

O clássico é o da Zona Norte, mas o da Venâncio não deixa por menos.

Tem o Cachorro Gordo, na Vasco da Gama, quase esquina com a Fernandes, que é muito muito muito bom e tem um toque diferente (tem que ir lá pra descobrir) ;)

Dan Marins

abril 6, 2011 @ 16:40

Responder

A melhor receita de cachorro quente:

Pegar R$3,30 e comprar na barraca do Costela, na porta da PUC em Betim.

Sérgio Camarg

abril 13, 2011 @ 14:02

Responder

Cobra,

em Brasília os melhores dogs são da 404/405 sul e da rua das farmácias.

Pra mim cachorro quente tem que ter muito molho, acebolado e com pedaços de tomate. O pão de qualidade e bem macio também faz a diferença.

Dispenso batata palha, mas uma mussarelazinha embaixo da salsicha derretida pelo molho quentíssimo vai bem também.

Cabrito Degustador

abril 10, 2012 @ 14:04

Responder

Esses 2 são tops mesmo… lembrando também na 213 sul, entrada da residencial, o cachorro quente do Baixinho… Esses 3 são os melhores de Brasília.

Eloi

abril 22, 2011 @ 00:27

Responder

Salsicha do tipo Frankfurter (que infelizmente são caras nos mercados onde vi), pão de hot dog, mostarda e cebolas picadas bem fininhas. Ketchup só na batata frita, e olhe lá. Maionese nem pensar.

Mas gosto também das coberturas "tradicionais das vans" de hot dogs de São Paulo: vinagrete, purê de batatas, "salada" de milho verde e ervilha, batata palha.

Pedro De Conti

maio 6, 2011 @ 12:35

Responder

cobra, o que seria surrgemonta?

Cobra

maio 10, 2011 @ 09:41

Responder

Pedro,

auto correção do Iphone. Já arrumei. Valeu.

Dorival Mata-Machado

maio 15, 2012 @ 13:00

Responder

Pão e salsicha, mostarda à parte, enrolado em papel anti aderente, e o fundamental, lançado de uma distância de pelo menos 5 fileiras durante uma partida no EUA, pode ser de basquete, beisebol ou o que for, mas no imaginário o melhor é NFL.

Nilson Oli

agosto 1, 2012 @ 01:37

Responder

Com toda certeza o cachorro quente do Fifties…

Marcelo Mallmann

agosto 1, 2012 @ 04:56

Responder

Em Porto Alegre, o Cachorro do Bigode é melhor do que o do Rosário. Quanto à receita ideal, isso não existe, cada receita tem sua "personalidade" ou peculiaridade. Eu diria que o que não pode faltar é o pão (de qualquer tipo) e a salsicha/linguiça. Mas já comi "cachorro quente ao prato" (sem pão) e já comi cachorro quente com frango desfiado ao invés de salsicha, e apesar de diferente, não deixaram a desejar.

Christiane Lefevre

agosto 3, 2012 @ 11:09

Responder

Em Conceiçao da Barra E.S., comi um cachorro quente com banana da terra frita e picadinha…era salpicada dentre todos os outro ingredientes de praxe. Fica uma delícia!!!

Andrea Veiga

agosto 31, 2012 @ 19:14

Responder

Quero deixar claro que há muitos cachorros deliciosos por ai…eheheh
Mas na minha casa, quando eu faço, o molho empre está carregado de cebola e a maionese é de alho…mesmo que não seja feita em casa…eu compro uma maionese tradicional e amaceto uns dois dentes de alho e misturo com umas colheradas dela…beleza!!!Sem alho não há cachorro quente que sobreviva!!!!

Alan Camargo

agosto 30, 2015 @ 02:50

Responder

Eu gosto do mínimo de ingredientes possível, pão, vina e uma boa mostarda de qualidade.

Comente

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

author
PorRicardo Cobra
Publicidade
Pop
Publicidade
Arquivos
Fique Ligado! Assine nossa newsletter
Receba todas as novidades do Homem na Cozinha

Todos os direitos reservados © Homem na Cozinha - 2006 - 2016