Se eu fosse o chef do Dinner in the Sky…

Alguns dias atrás mostrei para vocês como foi a minha aventura no Dinner in the sky, o jantar patrocinado pela Brastemp Inverse a 40 metros de altura, suspensos por um guindaste. Nesse post, eu contei inclusive que encontrei por lá alguns amigos, mas não contei que esses amigos viveriam uma disputa entre si. Fomos desafiados pela Brastemp e pela LiveAD a criar um jantar digno de ser servido no #dinnerinthesky, para o vencedor e 21 amigos. E a disputa começou no dia seguinte ao jantar.

Recebemos da organização um e-mail com as regras e resumindo-as, tínhamos as seguintes diretrizes para serem avaliadas: coerência, criatividade, personalidade, viabilidade e apresentação. Com essas cinco diretrizes na cabeça e a experiência da refeição lá em cima na memória, passei exatas 3 semanas pensando em como juntar essas cinco vértices em uma refeição composta de entrada, prato principal e sobremesa. Confesso, só para você, que troquei o cardápio na minha cabeça umas 10 vezes. Pensava no trânsito, no banho, na hora de dormir….

O Planejamento

O primeiro passo era programar a melhor forma de atingir meu objetivo. Não poderia fazer um jantar para 10 pessoas ou mais como costumo fazer em casa, uma vez que a apresentação e o requinte na preparação dos pratos seriam fatores essenciais no trabalho. Escolhi então convidar 4 amigos dos mais exigentes que eu tenho. Pessoas viajadas e acostumadas a frequentar os melhores restaurantes de São Paulo. Eles seriam os meus críticos e posteriormente conselheiros. Infelizmente dois deles não puderam comparecer no dia do jantar.

Definidos os convidados, passei a rabiscar os pratos. Camarão? Peixe? Carne? Porco? Pensei em coelho, carne saborosa e macia, porém minha esposa nunca aprovaria a entrada dessa iguaria (assim como proibiu o avestruz) em nossa cozinha. Camarão e peixe, eu teria restrição aos convidados (fator que sempre é considerado nas recepções aqui em casa) que não gostam ou não podem comer tais alimentos. Nessa fase de planejamento, não pude me focar só nos 4 convidados do primeiro jantar e sim nos 21 que serão convidados, no caso de o meu jantar ser o vencedor da promoção.

Finalmente no meio da semana passada, fechei o cardápio:

Entrada: Papillote de Palmito Pupunha com manteiga de ervas de provence
Prato principal: Rosbife de filet mignon com molho vitel tone e Vol au vent de queijo camembert com nozes e molho de uvas
Sobremesa: Merengue de Damasco  com calda de 3 chocolates

A viabilidade de preparo e de consumo nas alturas pesou bastante na escolha desse cardápio. Uma das dificuldades que tive lá em cima, foi na entrada, para comer as folhas – o vento me atrapalhou muito e por isso eu resolvi eliminá-las da minha entrada.
Já no prato principal, o adocicado do camembert com o molho de uvas, contrastava com o sabor marcante das nozes e do (pouco) aliche presente no molho. E a sobremesa, dispensa apresentação.

O Preparo

Me preparei para levar 4 horas na preparação do jantar, porém qual não foi a minha surpresa de deixar tudo pronto (inclusive com a montagem das 4 sobremesas) em 1hora e meia.

A pupunha cultivada que utilizei, estava tremendamente macia e facilitou muito a incorporação do sabor da manteiga de ervas. Bastava fazer os “bombons” de papel alumínio.

O Rosbife, que inclusive conta com vídeo de preparo no post da receita original, é algo incorporado ao meu dia a dia (pediram personalidade no jantar, não?) e o molho vitel tone é receita de minha querida avó (a mesma do melhor strogonoff do mundo) e me leva aos natais do começo da década de 1980.

Com os vol au vent previamente assados (eu sou adepto à cozinha prática, mas não por isso menos requintada), a sua montagem ficou extremamente simples. O trabalho difícil ficou por conta da montagem dos merengues.

O Jantar

Marcado para as 20 horas, os amigos pontualíssimos chegaram assim que eu iniciei o preparo das comidas que necessitavam de forno, o que me deu a liberdade criativa de preparar um drink prévio aos convidados. Daikiri de limão com gelatina de sake.

Brindes realizados, drinks tomados, partimos para o jantar em três etapas e aqui mostrados em algumas fotos que você pode ver pelo post e pode ver também nas receitas, que estão postadas no blog, apenas para efeitos estéticos e os links são os seguintes:

Papillot de Palmito Pupunha com manteiga de ervas de provence
Rosbife de Filet mignon
Molho Vitel Tone
Vol au vent de queijo camembert com nozes e molho de uvas verdes
Merengue de damasco com calda de chocolates

Aqui fica meu agradecimento à Brastemp e à LiveAD por mais essa oportunidade de prover conteúdo para meus leitores e ao mesmo tempo participar de competições envolvendo meu hobby.

www.homemnacozinha.com/molho-vitel-toneu

3 Comentários
Fred Frank

abril 19, 2010 @ 14:48

Responder

Cobra,

boa sacada servir em papilotte para não esfriar.

Rosbife delecioso e sobremesa fechando com chave de ouro!

Boa sorte.

Fred Frank.

Cobra

abril 19, 2010 @ 18:16

Responder

Fred,

obrigado pela visita e pelo comentário. Em breve estarei no seu estúdio comprando brownie.

abraço

Cobra

Comente

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

author
PorCobra
Publicidade
Pop
Publicidade
Arquivos
Fique Ligado! Assine nossa newsletter
Receba todas as novidades do Homem na Cozinha

Todos os direitos reservados © Homem na Cozinha - 2006 - 2016