HAMBURGRAVATA

Hambúrguer é um desses pratos ingratos, pois poucos dão valor quando anunciamos seu preparo. Como no caso de algumas massas, a grande maioria pressupõe algo já pronto, e não uma coisa elaborada. Mas não é bem assim, ou nem sempre é dessa forma. Conheçam, portanto, o HAMBURGRAVATA.

Criado dentro dos mais refinados princípios da gambiarra, e empregando conhecimentos alheios, chupinhando receitas aqui e alhures, a iguaria chegou à sua versão (talvez) definitiva e, como não tenho vocação para vovó caricata do interior da Louisiana, obviamente não pretendo guardar nada disso até a morte. Vamoquevamo!

Ingredientes:

– 3 quilos de fraldinha limpa e moída

– 2 ovos (você só usará 1 e ½)

– 1 pacote e ½ de sopa de cebola

Acompanhamentos:

– Pão com Gergelim

– Cream Cheese

– Tomates Frescos

– Molho Inglês

A Escolha da Carne

Uso a fraldinha porque é uma peça saborosa e ‘marmorizada’; ou seja, ela tem tanto a dose certa de gordura como também um ótimo sabor. Muitos usam o ‘patinho’, que não é nem bom na gordura, nem tem muito sabor. (nota do Cobra – Concordo com os comentários pró fraldinha, mas não com os comentários contra o patinho  – pensando em custo-benefício o Patinho é excelente)

Mas o pior negócio, a meu ver, é fazer hambúrguer de picanha. Sério, fujam dessa arapuca! Aliás, como já sabemos, picanha é o corte favorito de quem não entende nada de carne. (Nota do Cobra – CONCORDO)

Bom, voltemos à fraldinha… Como o raramente se encontra a peça limpa, você precisa pedir ao açougueiro que tire a gordura. Não caia na besteira de avisar que vai moer, nada disso! Se você avisa, ele limpa de qualquer jeito. Você fala que quer a fraldinha bem limpinha e pede pro camarada caprichar na extração da capa de gordura. Somente depois que estiver pronto o serviço, peça para moer (ele pode ficar bravo, mas paciência).

Importante: é para passar SOMENTE UMA VEZ na máquina, para não prejudicar a textura da carne.

Preparando o Hambúrguer

Esses três quilos de fraldinha limpa e moída serão amassados junto com um ovo e meio e um pacote e meio de sopa de cebola (favor não usar “creme”, muito menos aquela que vem com macarrãozinho, tá?). Por que sopa e não cebola picada? Simples: quando se usa a própria cebola, ela QUEIMA na hora de grelhar e estraga todo o sanduíche. E a sopinha, por sinal, acaba salgando e temperando o hambúrguer.

Amasse tudo com vontade, sem qualquer medo de ser feliz. Só pare depois que ficar bem homogêneo – e, se quiser, pode jogar um pouco de molho inglês nessa hora, só pra fazer uma graça.

Para modelar o hambúrguer, use uma forma de plástico, à venda nas melhores lojas de R$ 1,99. O legítimo “Hamburgravata” é bem grosso. Então, se quiser me imitar, trate de encher a forma até o talo.

Você aperta bem forte, depois vira o hambúrguer e aperta de novo. E pronto. Vá colocando os hambúrgueres num ‘tupperware’, dividindo os ‘andares’ usando fitas plásticas (o famoso magipack) – isso facilitará sua vida na hora de congelar e, sobretudo, descongelar.

Preparando os Acompanhamentos

O cream cheese, logicamente, já vem preparado. Trate apenas de usar uma marca boa (de preferência, o famoso Philadelphia). É melhor do que maionese, por ser mais gostoso e mais saudável.  (Nota do Cobra – não é jabá a indicação da Philadelphia, vai fundo que é o melhor.)

A coisa complica um pouco no preparo do tomate. Use o ‘italiano brasileiro’, ou seja, aquele que é daqui mesmo, mas ‘tipo italiano’ (meio pontudinho, sabe qual?). Depois de lavá-los e abri-los, retire todas as sementinhas e então os corte em quatro pedaços. Faça isso, sei lá, com uns dez tomates. Daí, o negócio é triturar tudo (use um bom processador). Depois de triturado, deixe sobre uma peneira, para escorrer bem a água.

Em vez das manjadas rodelas de tomate, o “Hamburgravata” tem tomates triturados. Bem melhor. Soube até de algumas lanchonetes que fazem isso (obviamente, começaram depois de mim… :D).

Preparando o Sanduíche

Em vez de fritar, trate de grelhar seu hambúrguer. Eu uso “George Foreman” (terceiro merchandising gratuito, estão anotando?), porque ele dá aquela prensada e mantém a ‘integridade física’ do negócio. (Nota do Cobra – Não é merchandising é indicação mesmo, eu mesmo já falei do Grill aqui)

Cada um come do jeito que quiser, mas eu prefiro quando dá aquela semi-tostadinha por fora, mas ficando meio rosa por dentro. Essa é uma das vantagens do “hambúrguer grosso”.

Num lado do pão, passe bastante cream cheese; no outro, pingue um pouquinho de molho inglês e depois coloque um punhado de tomate triturado. Aí sim, o hambúrguer está pronto para ser recepcionado da forma que lhe cabe e o sanduíche pode receber seu nome legítimo: HAMBURGRAVATA!

(claro que você vai batizá-lo com seu próprio nome, para impressionar os amigos ou a garota ou sei lá quem) (Nota do Cobra – as fotos vêm quando ele preparar o Hamburguer da próxima vez, cobrem-no nos comentários.)


22 Comentários
Eliana Marcia Gouvei

março 11, 2010 @ 15:16

Responder

…E isso é apenas uma pequena amostra do que o cara

é capaz de fazer numa cozinha!

gustavo

março 11, 2010 @ 16:49

Responder

po, eu me considero um entendedor de carne, e eu nunca, jamais, faria um hamburguer de picanha, mas dizer que picanha é a carne de quem não entende de carne é um grande exagero. eu adoro picanha, principalmente em um churrasco bem feito. eu tinha uns amigos paulistas que fatiavam a picanha! crua ainda! com menos de um dedo e colocavam na grelha. daí não fica bom mesmo.. um dia venham aqui pro sul aprender com quem entende.. hehe

Cobra

março 11, 2010 @ 21:26

Responder

Gustavo,

falando sério, acho picanha uma carne saborosa, mas quando vou à rodízio eu sempre deixo a picanha passar, prefiro Cupim, Costela à picanha. Eu realmente acho a picanha superestimada.
Estou preparando um guia do churrasco e nele pretendo explicar os cortes de carne e pode ser que desmistifique a picanha.

Gravatai Merengue

março 11, 2010 @ 21:39

Responder

Não é que picanha seja ruim (o cobra complementou bem). É um corte bom, sem dúvida. Mas costuma ser o "favorito" de quem não conhece alguns outros exatamente por ser superestimada.

Janaina Samira

março 12, 2010 @ 16:40

Responder

Adorei essa da picanha ser corte de quem não entende de carne…sou uma churrasqueira de mão cheia e na maioria das vezes não compro picanha, tem tanta coisa boa e barata por aí, basta entender um pouco de carne e saber comprar!!!!

Bju Gravata!!!!

MNC

março 12, 2010 @ 18:21

Responder

Não seria mais facil (e menos disperdício) usar 2k de fraldinha, 1 ovo e 1 pacote de sopa? Proporcionalmente é a mesma coisa… :)

@dbanin

março 12, 2010 @ 18:35

Responder

Eu faço hambúrguer com patinho, mas na próxima experimentarei fazer com a fraldinha. Uma outra dica que aprendi na confecção de hambúrguer com um dono de lanchonete aqui da Mooca (sensacional) é usar 25% de picanha moída 75% de patinho ou a fraldinha (como preferir) e reduzir um pouco da sopa de cebola (pode ser esse meio pacote que o Gravz indicou), substituindo por farinha de rosca, mas a feita por você em casa, triturando pão duro no liquidificador. O hambúrguer fica consistente e não perde a "suculência" interna. Abs!

Waldir Jr

março 13, 2010 @ 19:25

Responder

Olá, gostaria de dizer que o site de vocês é louco demais!

Só acho que em todas as postagens, as fotos devem vir automaticamente, além de serem informados os valores médios para tais receitas.

O blog ficaria completo dessa forma!

Abraços…

Cobra

março 13, 2010 @ 19:34

Responder

Waldir,

obrigado pela visita e elogio. Te respondendo as fotos são realmente um problema editorial que temos. Os pratos são testados no dia a dia, o que dificulta a produção de foto e opto por não colocar fotos ruins, que podem prejudicar o visual do prato. Já o preço médio tem 2 problemas: O Brasil é muito grande e teríamos uma disparidade muito grande entre RS e AM (por exemplo), além disso, fica inviável a atualização de receitas postadas em 2006 por exemplo.

volte sempre.

Eduardo

março 17, 2010 @ 13:14

Responder

Taí uma coisa que eu adoro fazer, não só por ser fácil mas por ser muito saboroso também. Na próxima eu substituo o patinho por fraldinha, com certeza.

Mas estou precisando uma dica. Sempre que faço esse hambúrguer sou obrigado a fazer também um daqueles congelados de frango que não têm a mínima graça pra minha noiva, já que ela não come carne vermelha. Essa diferença de qualidade acaba me incomodando muito, então queria alguma dica para algum hambúrguer de carne branca.

Fernando Paiva

abril 4, 2010 @ 16:47

Responder

fuço muito o site de vc's, estou na fissura de fazer o pastel de feira, ainda não fiz, agora vi essa receita do hamburger gravata, pretendo fazer tb, já fiz uma de revista com bacon e minha esposa adorou!

Márcio Cesar

maio 31, 2010 @ 14:48

Responder

Pessoal, fiz o "hamburgravata" e achei demais!!!

Comprei até o grill do George Foreman para ficar ainda mais gostoso.

abços,

MC

Márcio Cesar

junho 22, 2010 @ 11:52

Responder

Cobra e Gravata, fiz o hamburgravata e congelei alguns pra fazer depois. Uma pergunta, pra fazer os demais tenho que descongelar totalmente o hamburguer ou tirando umas duas horas do congelador já dá pra colocar no grill.

abços,

MC

Gravatai Merengue

junho 22, 2010 @ 11:53

Responder

Cara, pode tirar direto do freezer e levar ao grill.

Márcio Cesar

junho 23, 2010 @ 06:50

Responder

Valeu, Gravata! Vou tentar hoje!

abços, MC

Márcio Cesar

novembro 3, 2010 @ 08:06

Responder

Cobra e Gravata, como fiz a receita toda do hamburgravata e lá em casa somos só dois, sobrou um bocado no freezer. Vcs saberiam me dizer quanto tempo posso deixar-los por lá sem estragar?

Abços, MC

Cobra

novembro 3, 2010 @ 10:23

Responder

Márcio,

se você embalar à vácuo, por 3 meses.

Márcio Cesar

novembro 4, 2010 @ 11:27

Responder

Obrigado, Cobra!

Leonardo Morgado

junho 17, 2012 @ 23:14

Responder

será que não e muito elaborada para mim…. vou juntar a malta

eduardo

fevereiro 11, 2013 @ 20:03

Responder

Valeu pela receita. Excelente!!!

Yuri Blanke

novembro 15, 2013 @ 02:49

Responder

fotos!

Bruna Novak

novembro 15, 2013 @ 12:51

Responder

Homem aprontando.

Comente

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

author
Porgravata
Publicidade
Pop
Publicidade
Arquivos
Fique Ligado! Assine nossa newsletter
Receba todas as novidades do Homem na Cozinha

Todos os direitos reservados © Homem na Cozinha - 2006 - 2016