Moro nessa casa já faz 5 anos. É uma rua com apenas um quarteirão, fechada em um dos lados e que tem uma amoreira bem no meio do quarteirão. Nesses 5 anos que moro aqui, nunca consegui colher mais do que duas amoras por estação, seja por falta de calor, seja por excesso de calor, seja por que os transeuntes e os passarinhos chegaram antes. Se algo de bom aconteceu nessa maré de calor e secura do inverno de 2010, foi a chegada da primavera antecipadamente. Ipês floridos, Manacás idem e a amoreira da minha rua repleta de frutos.

Eis que hoje, peguei minha filha de oito anos e fomos colher amoras na árvore, mas não colhemos as frutas para degustação no momento, fizemos uma operação de guerra:  potes, latas de leite em pó, tripé de fotografia, até uma escada foi utilizada em nossa jornada. O resultado:

Depois de lavadas e secas, essas amoras “Roxas de Doer”, viraram uma deliciosa calda de sorvete, com a receita abaixo:

Ingredientes:

300 ml de água

5 colheres de sopa de açúcar

amoras

Modo de preparo:

Misture a água e o açúcar, colocando em fogo alto até a calda iniciar a fervura. Quando a calda estiver iniciando o processo de fervura, adicione as frutas, mexendo bem. Deixe no fogo até engrossar.