O convite veio de forma inusitada, o Mafra “twittou” (o twitter é uma ferramenta de microblogging e você pode nos seguir clicando no link anterior) que ele também era um Homem na Cozinha e que o macarrão estava excelente e eu pedi a receita, na cara dura, para publicar aqui. O fato é que nosso caro Mafra é um Orientalizador e eu esperava uma receita japonesa e não italiana., mas segue o texto dele, apenas com o modo de preparo adaptado para nosso padrão.

Um pouco de história
Esta receita é uma leve adaptação prática da receita passada por mim pelo Bruno Mota (http://ml42.blogspot.com/). Depois de executá-la tantas vezes ao longo dos anos, acabo por fazer de cabeça, por tanto as quantidades são estimadas, use o seu bom senso. É uma receita simples e isso deve ser mantido em mente, não adianta inventar moda, senão o tiro pode sair pela culatra. Ela é ideal para uma a três pessoas, não recomendo fazer para um batalhão, pois não é garantido que vai dar certo.
É importante lembrar que Carbonara, como toda boa receita, possui variações. Todos irão dizer que suas versões são as “verdadeiras”, o que é uma falácia. Ela se popularizou nos anos 50, o que não faz dela uma receita milenar italiana, suas origens são obscuras e bastante especuladas e mesmo na itália há inúmeras variações, algumas até incluindo creme de leite e similares.

Ingredientes
Para a nossa versão precisaremos de

  • 300g de macarrão – De preferência spagetthi ou talharim. Fusili também pode ser uma boa, mas não se aventure com Penne ou outros formatos feitos de pedaços grandes.
  • 150g Bacon ou Pancetta – Bacon é o uso peão padrão, mas não seja descuidado, escolha um bacon mais carnudo.
  • 2 Ovos
  • 100g de Queijo Parmesão ou Pecorino ralado – Pecorino é tido como o “verdadeiro”, mas isso é uma bobagem. Use o de sua preferência ou o que estiver disponível, ou mesmo misture. Recomendo comprar em pedaço e ralar em casa, para manter o frescor.
  • 3 dentes de alho
  • 1 xícara de vinho branco

Modo de Preparo

Esquente a água para o macarrão e pique o alho e o bacon (tiras ou cubos).

Sem adicionar óleo na panela, frite o bacon, mas não deixe torrar (apenas doure) ele deve ficar suculento.A gordura do bacon faz tudo. Se preferir, coloque apenas um pouco de azeite (nota do HnC – Realça o sabor do porco) e antes que o bacon chegue ao ponto, acrescente o alho.

Assim que o cheiro do alho “subir”, acrescente o vinho e deixe evaporar. Em seguida retire o alho e o bacon (sem o suco/gordura) e coloque em um papel absorvente. Reserve.

Cozinhe o macarrão seguindo as instruções do fabricante.

Enquanto o macarrão estiver cozinhando quebre os ovos e coloque em uma tigela ou refratário. Acrescente o queijo e misture tudo.

Ao fim do cozimento, escorra bem o macarrão e jogue-o na tigela com os ovos e queijo. É importantíssimo não jogar água fria no macarrão e jogá-lo direto na tigela. Misture bem para que o molho se distribua homogeneamente e não empelote.

Acrescente o bacon e o alho e pronto.

Observações
Algumas das instruções podem assustar, mas garanto que é simples, e o ovo cozinha no próprio macarrão mesmo, não sobra ovo cru. Essa é uma receita em que todos os ingredientes se equilibram para não deixar ácido ou amargo demais, evite retirá-los ou trocá-los.

Isso é bem verdade no caso do queijo, ele ajuda a dar a liga no molho, grudando-o no macarrão, sem o queijo você corre o risco de ter macarrão com sopa de ovo cozido. Sob nenhuma circunstância use vinho tinto, já cometi esse erro e me arrependi.

É importante também não misturar o macarrão com o molho na própria panela, pois ela está quente e irá fritar o ovo ao invés de cozinhá-lo.

————————————————–

Assim como o Mafra, quer participar do Homem na Cozinha? Mande sua receita para contato@homemnacozinha.com que publicaremos com prazer. Se você tiver um site ou blog, não esqueça de enviar o link.